Via  Láctea  FM

Sonhos...

 

Sós, meras fantasias!

Subtraem a realidade, negam a vida.

Borboletas que não eclodem,

Não esvoaçam, não polinizam

Nem colorem.

 

Aos bandos, manifestam-se,

Contagiam, contaminam e proliferam;

Impregnam-se com a energia dos fortes

E a beleza dos poemas...

 

Aos sonhos, asas e vozes

Para que possam entoar, decolar

E alcançar a dimensão do inatingível...

Berçários do futuro,

Por onde o presente se projeta

E realiza o que há de vir.

 

Alguém, um dia,

Sonhou asas...e voou!

 

Alguém, um dia, sonhou novos caminhos,

Alçou âncoras e cruzou os mares!

 

Alguém, um dia,

Sonhou o espaço...e foi às estrelas!

 

Um dia não muito distante,

Também eu sonhei um mundo de amor e poesia

E, embora não tenha conquistado o espaço,

Elevei-me às estrelas e cobri-me de luares,

Entre os quais convivo

Num infinito de versos e canções,

O infinito indizível da Via Láctea.

 

Bem-vindos ao meu lar!

Por favor, não pisem as estrelas!